domingo, 21 de setembro de 2008

Solidariedade até a morte

Me lembro de estar caminhando pela chuva.Caminhando por São Paulo pela chuva.Quem olha de longe, acha que a cidade é uma civilização singular gigantesca cujos edifícios cortam o céu; uma civilização feita de asfalto e concreto.Mas quem vive aqui sabe que não.Na verdade, São Paulo é feita de póvora negra.Póvora negra e dinamites, prontos para explodir a qualquer instante.Por isso que quando chove, não se trata apenas de água, mas sim de um alívio.
Ao passar pela banca de jornais, me lembro de ter visto em uma revista de fofocas a foto de um participante do Big Brother Brasil com as mãos para o ato, e em vermelho e negrito, editado na capa da revista , "HERÓI".É, de fato, uma bela definição para o tipo de figura que grande parte da nação considera heróica.Mas me recordei então da notícia que há muito havia ouvido.
Em Erechim, no Rio Grande do Sul, em uma manhã de quarta-feira de chuva, um ônibus escolar com 30 estudantes caiu em um rio.Lucas Vezzaro, de 14 anos, foi um dos primeiros a sair do ônibus pela janela.É fácil deduzir que, naturalmente, qualquer ser humano deixaria seu instinto de sobrevivência falar mais alto em um momento como este; mas não, o garoto, em vez de ir para a borda do rio, voltou para o ônibus e salvou sua prima com mais uma amiga.Em seguida, retornou ao ônibus, já submerso, e resgatou outra garota.Sem hesitar, ele retornou ao rio na tentativa de salvar mais colegas.Foi uma viagem que não teve volta."Em casa, filho único, comportava-se de modo bem diferente do da maioria dos garotos de sua idade. À tarde, depois de almoçar com a mãe, lavava a louça, passava aspirador de pó na casa, varria o quintal, cuidava da horta e fazia a lição de casa. Mesmo com tantos afazeres, ainda achava tempo para o futebol com os amigos, para pequenas caçadas e para partidas de bocha. Uma de suas maiores diversões era pescar e se orgulhava de nadar bem. Estava na 8ª série e ainda não tinha definido o que estudaria mais adiante. "
Como disse um homem sábio, muito tempo atrás, "a opinião é algo muito preconceituoso e pessoal, por isso ela não pode servir de exemplo para a verdade absoluta".Mas, agora, me responda uma coisa na sua opinião: Quem é o herói? O bambambam que tira a camiseta na frente de milhões de brasileiros ou aquele garoto que sacrificou sua própria vida para poupar a vida daqueles que ele amava?É, acho que o conceito de "herói" passou por mudanças drásticas de um tempo pra cá.
Recentemente, outros dois casos parecidos com o de Lucas Vezarro estamparam as contra-capas dos jornais.Claro, as manchetes estavam voltadas ao suposto assassino de uma personagem em uma novela na TV Globo.
No primeiro caso, o surfista Tony Viela, 32 anos, pulou no mar para resgatar quatro outros surfistas que estavam com problemas graças ao mau tempo.Ele conseguiu salvá-los, mas isso lhe custou a vida.
Já no segundo , uma barbariedade: Fábio Carvalho da Silva, 24 anos, universitário, passava com seu Celta preto na margnial Pinheiros, zona Oeste de São Paulo, por volta das 23h desta quarta-feira, com sua namorada e mais uma amiga, quando parou seu carro para ajudar o motorista de um Ford Ka. Fábio então foi atingido por um caminhão cujo motorista não conseguiu fazer o desvio.Fábio morreu na hora.O caminhoneiro ficou inconsicente e foi levado ao hospital.A namorada e a amiga ficaram em estado de choque.E o motorista do Ka deu a partida e fugiu.
Embora no segundo caso seja ressaltada a atitude infantil do motorista do Ka, nos três casos percebemos que a solidariedade estava presente em cada um dos heróis.Eram três jovens e não mereciam o fim que tiveram.Mas isto levanta uma questão ainda mais...primordial: até onde vale a pena exerecer a solidariedade e a suposta cidadania? Eu daria a vida por alguém?Você daria a vida por alguém?É claro que tudo é uma questão de ética, mas eu acho que a solidariedade deve ser exercida sempre que há a possibilidade.Nem que seja em coisas relativamente pequenas, como, por exemplo, ceder um lugar para alguém no ônibus ou doando roupas para quem tem necessidade.São pequenas atitudes que tornam o mundo um lugar melhor, que nos fazem sentirmo-nos bem.
Quem sabe se começarmos a praticar com mais freqüência, o termo herói deixe de ter sua consistência em idiotas musculosos que aparecem na TV.

9 comentários:

Vera disse...

ANDRÉ!Espero que continues,pois em cada texto nota-se seu aperfeiçoamento ,é importante a sua manifestação mesmo que não tenhas muitos comentários,esperamos sempre algo novo em seu blog.Filho INSISTA,não deixe de escrever,tens um tesouro dentro de ti e precisas partilhar conosco.O acidente do onibus já foi esquecido,a não ser pelos familhares que sentem a falta do filho,amigo do companheiro do dia-a-dia, os heróis de verdade existem mas são esquecidos facilmente por que o que o povo gosta é "de pão e circo" e os bandidos ganham cada vez mais destaques em jornais e revistas,as telenovelas,onde é uma oficina de criminalidade tem cada vez mais audiencia e aquele que doa sua vida tentando salvar alguém ganha no máximo destaque por um dia num canto de pagina de jornal, revista nem se atreve a comentar pois não vende mas "BBB" sim isso é uma FABRICA DE FALSOS HEROIS e da audiencia.Por isso,não deixe de escrever,muitos gostariam de fazer o mesmo mas por algum motivo não o fazem,se fizeres um pouquinho de bem com certeza estarás ajudando a outros fazerem o mesmo.

Philipe Berman disse...

Fala, zé! Muito bom o texto! Gostei bastante! Continue assim! Nesse nao tenho o que criticar, pois concordo com tudo o que voce escreveu! Poste mais! Abraçao!!!!

ronaldo disse...

Olá Andre!

Eu, em minha profissão sei muito bem o que é isso, pois ao longo de muitos anos trabalhando como policial civil me deparei com situações em que vários "Lucas, Tony's e Fabios", perderam suas vidas em pró de terceiros, mas que permanecem anônimos, pelo menos para a maiorias das pessoas, pois os casos não repercutiram na imprensa, talvez por não darem tanta audiência como o "BBB". E muitos outros se dispuseram, não só a dar um pouco de si, mas muito pelo semelhante, e as vezes além de colocarem suas próprias vidas, também colocaram sua dignidade e reputação em risco. Afinal, se salva uma vida, não só tirando-a do perigo eminente, mas a direcionando para o caminho "justo". Mas, Deus tem um lugar especial reservado para aqueles que sucumbiram no caminho de sua missão, pois ser herói, é ter uma missão!

Como você bem disse: Existente os Heróis, que são aqueles que reúnem em si os atributos para superar de forma extraordinárias uma determinada situação sem se preocuparem com o risco próprio, mas, tão e somente com o bem estar do próximo. E existem também os Anti-Heróis, que são aqueles que protagonizam e dissimulam as ações do herói, mas que não possuem atributos louvável, e sim, e somente, motivos fúteis e egoístas. Infelizmente esses pseudo heróis, tipo ''BBB", sempre existirão enquanto a midia puderem fabrica-los para seus proprios interresses.

Mas não devemos nos preocupar, pois atrás do anonimato, há, e sempre haverá, aqueles que fazem de tudo para FAZER e nunca APARECER.

Um abraço

Ro

Anônimo disse...

Olá André, textos muito interessantes, embora surpreendentes para sua idade. Parabéns pelas reflexões.
Débora

Bruna disse...

Olha andrézito! Achei muito interessante isso, pois vejo que hoje em dia, é CADA UM NO SEU QUADRADO, e ver que ainda existem pessoas que deram suas vidas pelo próximo é maravilhoso \o/ Eu não sei se faria como essas 3 pessoas maravilhosas, mas eu me esforço pra deixar de ser egoísta e ter solidariedade! Fico chocada que a novela possa ser mais importante que uma notícia dessas! Gostei desse Post!

Beijão

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

André fiquei muito contente de ler seu texto.
Realmente, precisamos refletir sobre o significado da palavra Heroi, um termo reservado para poucos.
Seu texto traz um pensamento e relata alguns casos recentes, que merecem destaque. Homens anonimos, alguns perderam suas vidas, que miraram suas ações em prol de pessoas que não tinham sequer, qualquer vinculo sanguinio. O que faz uma pessoa arriscar sua vida para atender alguem que esta em apuros?
É o sentimento de solidariedade. É bom ver jovens como voce preocupado com o que querem nos induzir e não aceitar isso. Parabens.
valdir

Anônimo disse...

Puxa vida!
Esta família está repleta de gente muito boa mesmo.
A gente se orgulha e fica feliz. Além da facilidade de transcrever o pensamento este garoto reflete uma grandeza de carater e valores muito consolidados. A Vera também está de parabéns.
Bjos
Mare

Anônimo disse...

Me desculpem por mandar esse texto coletivo mas gostaria de dividir essa leitura com todos. Ela foi escrita pelo Andre,filho da minha querida irma Vera,acho que vale a pena ler oque um menino de 15 anos tem capacidade de escrever!
Um beijo a todos com carinho.
Nely