sábado, 18 de outubro de 2008

"Ou você morre como herói, ou vive o bastante para ver a si mesmo se tornar o vilão."

A frase citada por Heath Ledger no papel de Coringa, em The Dark Knight, se fez no mínimo apropriada em um episódio recente em Santo André.
A velha história...o cara tinha ciúmes da namorada, terminou com ela, se arrependeu, e então foi tentar reatar, pois ele ainda a amava.Isso, superficialmente, pois eu não creio que alguém que ame uma pessoa de verdade tente reatar o namoro portando revólver e munição.
Lembro de ter visto circunstâncias semelhantes em alguns filmes, e creio que isso ocorre em praticamente todas as novelas.A questão do desespero nos levar a fazer coisas as quais em sã consciência jamais faríamos.
Lindembergue Alves, um homem trabalhador, de família simples que gostava de ir em festas.Um "cara normal", segundo os vizinhos.No mesmo conjunto habitacional palco dos acontecimentos dessa semana, conheceu Eloá Cristina Pimentel.Eles foram namorados por mais de dois anos, até que o ciúme de Lindembergue pôs um fim nisso.Arrependido, ele tentou por várias semanas entrar em contato com a garota, mas ela o ignorava.Dia após dia, telefonando, mandando mensagens, enviando e-mails, em vão.Dia após dia tendo esperanças de corrigir um erro para que as coisas voltassem a ser como eram.Dia após dia acordando de manhã acreditando que ela retornaria suas ligações, e dia após dia indo dormir frustrado.Não, eu não concordo de maneira alguma com o que Lindembergue fez, defendo a tese de que "caímos para aprendermos a nos manter em pé".Mas se há uma coisa que é profunda e lastimavelmente torturante em termos sentimentais, é quando somos ignorados.Ignorados pela pessoa com quem sonhamos a noite, e você já deve saber disso.
Esse sentimento de frustração seguido de sua coleção de fracassos acabou modificando o perfil de Lindembergue.Movido agora pelo remorso e não pela lucidez, resolveu que a história deveria ter um fim definitivo, foi lá para fazer besteira.E fez besteira.
Mas a coisa poderia ter terminado bem.Se os policiais não tivessem pego uma escola para servir de "quartel" e se os repórteres e as viaturas e os curiosos não tivessem se amontoado em volta do prédio, eu tenho certeza de que Eloá poderia estar bem agora.Acho que o real objetivo de Lindembergue era chamar a atenção, o que ele conseguiu, mas a mídia tratou isso de maneira muito novelística, acabou virando uma palhaçada, tal como o famoso caso de Isabela Nardoni.
Cabe a nós tirar desta trágica história uma importante lição : pensar nas consequências de nossos atos.Porque se cada homem que quisesse reatar o namoro com sua ex-namorada fizesse um carnaval desse, haveria uma seção especial no Guiness Book para sequestro mais longo, não acha?

5 comentários:

Luísa disse...

seres humanos são bichos muito estranhos. nunca saberemos como irão reagir ! por isso digo sempre pros outros terem cuidado com quem se envolvem. pode ser uma pessoa até rica, mas com sérios problemas de relacionamento, por mais que pareça uma 'pessoa normal'. sinceramente, o melhor q podemos fazer é tentar entender o outro. claro q nunca entenderemos por completo, já que demoramos uma vida pra entender a nós mesmos (e olha que muita gente morre sem se auto-conhecer).
adoooooooooooro suas redações !
beijão =)

ronaldo disse...

Olá Andre!
Infelizmente esse tipo de acontecimento não será o ultimo, enquanto os podres de espirito não aprenderem a suportar suas perdas, ou melhor, não tomarem consciência de que a pessoa amada não é sua propriedade, pois "ninguém é de ninguém", parece meio forte está frase, mas é a pura realidade.
Mas, o que realmente me impressionou foi o total despreparo do GATE - Grupo de Ações Táticas Especiais da Policia Militar, pois as "Ações" foram desastrosas, as "Táticas" medíocres e de "Especial" somente a incompetência do Coronel comandante daquela "tropa".
Poderiam ter acionado e deixado o caso com o GER - Grupo Especial de Resgate da Polícia Civil, onde realmente tem homem treinados, preparados e capacitados para esse tipo de situação, mas como sempre a velha "rixa" entre as corporações fizeram com que mais uma vida se evaisse na flor da idade.
Temos sim que manter, e fazer de tudo para a preservação da vida... mas da Vitima, e não do Agressor.
Um abraço
Ro.

Christiano J. Jabur disse...

A frase não é dita pelo Heath "Coringa" Ledger, mas pelo promotor Harvey Dent (vivido pelo ator Aaron Eckhart) durante um jantar com Bruce Wayne, Rachel Dawes e uma outra personagem num restaurante. A cena está no link http://br.youtube.com/watch?v=3fIVEq-CHTA

Anônimo disse...

É simples, Eloa nao o amava, mas, ele sim, esse é o grande problema

Anônimo disse...

Esses humanos são todos estranhos, e olha que venho lhes observando a tempo...