segunda-feira, 7 de abril de 2008

O Caso Isabella

Jogar uma criança pela janela é uma fatalidade que ultrapassa todo e qualquer limite possível imaginável do cúmulo. Tomar uma vida tão jovem e com tantos planos é de fato um absurdo .
Eu poderia estar citando as circunstâncias atuais das investigações sobre o ocorrido. Eu poderia estar questionando as leis éticas e morais em relação a uma tragédia deste tamanho. Eu poderia estar até mesmo criticando os métodos não tão eficazes de monitoração do prédio do suposto crime.Sinto decepcioná-los, mas não vou fazer isso. Se quiser saber o que eu escreveria aqui, ligue a televisão ou acesse algum site de notícias.
Rádio, jornais, televisões, websites e todo e qualquer meio de comunicação social .As atenções da mídia estão voltados para este caso .Mas por quê? Por que eles dão prioridade a uma investigação (mesmo esta sendo a respeito de um caso absurdo) em vez de nos informar sobre o dólar, os últimos acontecimentos do mundo todo,os conflitos políticos e tudo o mais ?Por que um país inteiro tem que se imobilizar por um incidente por tanto tempo ?Toda hora nós vemos por aí pessoas morrendo em massacres, assaltos, brigas de trânsito, e na maioria das vezes há realmente pessoas inocentes fatalmente envolvidas, então por que focar tudo nesse caso ?Seria o fato de a vítima ter pouca idade crucial na repercussão da notícia por todo país?Qual o motivo?
Este caso acabou virando um pretexto para percerbermos a facilidade que os meios de comunicação social tem de influenciar em nossas emoções e visões por sobre os acontecimentos .Já não é novidade correntes pela internet pedindo um sinal de respeito e luto pela morte de Isabella.Na verdade, há até mesmo pessoas de luto por causa disso.Agora pergunte a si mesmo, se tudo o que ocorreu até agora fosse simplesmente noticiado, e não narrado como um filme de suspense, o povo estaria desse jeito chocado ?
Pode parecer loucura, mas na minha humilde opinião, a maioria da população brasileira está presa. Presa na própria mente.Presa pela televisão, presa pelas novelas, presa pelos reality shows, ao ponto de dar preferência a estes do que ao combate a dengue ou o incentivo a projetos contra a analfabetização.Mas esta prisão mental não é desses dias.Os meios de comunicação vêm se expandido em proporcionalidades relevantes nos últimos anos, em especial nas últimas duas décadas com a chegada da internet nas mãos dos consumidores, o que os leva a ter certo controle sobre o que é revelado e o que não é para as pessoas.Mas há uma grande diferença entre os meios de troca de informações da televisão e da internet : na internet, você vai atrás do que você quer do seu jeito, não como os noticiários que impoem a informação até você da maneira deles.É por isso que todos se abalam por um crime desses, por causa da maneira da mídia, em especial a televisão, em um modo geral expor as coisas.
Por esta e outras razões, eu condeno a televisão. E se você que não quiser fazer parte do senso comum, é bom avaliar a idéia de substituir as novelas e os reality shows por jornais e livros.
Voltando ao caso em si; dê uma boa olhada em sites de relacionamentos e programas de conversas instantâneas.Muitas (eu quis dizer muitas mesmo) pessoas estão comovidas com o crime ao ponto de colocar rosas na frente de seus nomes ou até mesmo um "LUTO" .Isto também não é dos dias de hoje, quando algum crime bárbaro acontece sempre há pessoas que fazem este tipo de coisa.Por um lado é bom, porque podemos notar que ainda existem pessoas que se incomodam com tragédias deste nível.Mas o que eu não compreendo é que, já que elas querem tanto assim protestar, por que não tiram esse ressentimento de seus nicks e não vão fazer alguma coisa de verdade, uma caminhada em homenagem à vítima, um protesto em favor ao aumento de investimento no poder militar, qualquer coisa. Um bom exemplo de protesto é o que está acontecendo na Universidade Católica de Brasília, onde s estudantes se manifestaram contra o aumento de 11% da mensalidade e contra a desorganização do Internato .Isso se chama agir.E, para todos aqueles que insistem em colocar florezinhas em programas de conversa instantânea, lembrem -se: emoticons não desarmam criminosos .Se quiserem que as coisas mudem, desliguem a televisão e vão pintar placas e estampar camisas.

5 comentários:

Bruna disse...

André.. eu li só o primeiro parágrafo! O resto eu leio depois da academia!

UM VIVA PARA A ISABELLA!
Beijoooooos

Vera disse...

Muito bem colocado seu ponto de vista,basta ver por aí quantas crianças são brutalmente assasinadas e nem se quer é levado ao conhecimento do publico,quantas chacinas onde a maioria das pessoas q morrem são inocentes e nossas autoridades não se preocupam em esclarecer,quantas crianças no norte e nordeste morrem de fome ,por isso junto-me a vc e digo:
NÂO MATEM ISABELA OUTRA VEZ.
vera

Vera disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruna disse...

Ok.. Agora um comentário descente!
Faz muito tempo que eu não sento no meu sofá super confortável para olhar TV, só tem besteira, é sempre a mesma LADAINHA, as mesmas porcarias! Ontem eu TENTEI assistir MTV, um programa da penélope chamado LAVANDERIA!
É ridículo! Ela fica falando sobre coisas totalmente inúteis que as pessoas deveriam saber sobre si mesmas! Ontem tinha uma guria que se achava feia. VAI TOMA NO CÚ MEU! Isso é coisa pra estar colocando em programa? Só sei que essa tv está uma merda, que eu não agüento mais essa demonia aparecendo na TV e que o espírito dela DESCÃNÇÇE (muahaha) em paz!
Beijos da sua amada ex- colega linda e maravilhosa que dá o maior comentário inútil que tu jé recebeu no teu blog :D

Philipe Berman disse...

Boa, André! Você percebeu como os jornais - principalmente os televisivos - exploram o caso da menina e deixam de lado questões muito mais importantes pro país como a dengue e o uso dos cartões corporativos? A internet é boa por que, como você disse, dá uma maior gama de opções para as pessoas se informarem, como você faz. O negócio é a gente fazer a nossa parte e tentar mostrar pras outras pessoas o nosso ponto de vista, explicando e argumentando sobre o porquê pensamos de tal maneira.
Um abraço!!!